MIJAM POR NÓS E DIM QUE CHOVE

Esta invasão de projetos energéticos que pretendem implantar na Galiza basea-se num modelo desenhado a medida das grandes companhias elétricas e da especulação financeira, entrando no jogo empresas oportunistas que nada tinham a ver até agora com a energia eólica. (Em Mallorca não há nenhum parque eólico, mas há 190 empresas vinculadas com o setor).

A meirande parte dos 140.000 milhões de euros dos fundos europeios Next Generation serão entregues às empresas energéticas para ampliarem o seu negócio.

bb

HISTÓRIA DO ESPÓLIO EÓLICO NA GALIZA

aa

Desde hai mais de duas décadas, governos da Xunta e do Estado com distintas siglas políticas, desenham um modelo energético a medida dos interesses económicos especulativos das grandes companhias do sector energético, do sector financeiro e de empresas oportunistas, por cima dos interesses sociais, culturais, ambientais e das economias tradicionais da povoaçom.

Galiza é excedente desde hai anos em produçom de eletricidade, a maioria eólica e hidroelétrica. Parte desta é exportada fora do nosso território e parte perde-se no seu transporte. Superamos o ratio de potencia eólica instalada por quilómetro quadrado que recomenda Europa ata o ano 2030.

MIJAM POR NÓS E DIM QUE CHOVE

Esta invasão de projetos energéticos que pretendem implantar na Galiza basea-se num modelo desenhado a medida das grandes companhias elétricas e da especulação financeira, entrando no jogo empresas oportunistas que nada tinham a ver até agora com a energia eólica. (Em Mallorca não há nenhum parque eólico, mas há 190 empresas vinculadas com o setor).

A meirande parte dos 140.000 milhões de euros dos fundos europeios Next Generation serão entregues às empresas energéticas para ampliarem o seu negócio.

HISTÓRIA DO ESPÓLIO EÓLICO NA GALIZA

Desde hai mais de duas décadas, governos da Xunta e do Estado com distintas siglas políticas, desenham um modelo energético a medida dos interesses económicos especulativos das grandes companhias do sector energético, do sector financeiro e de empresas oportunistas, por cima dos interesses sociais, culturais, ambientais e das economias tradicionais da povoaçom.

Galiza é excedente desde hai anos em produçom de eletricidade, a maioria eólica e hidroelétrica. Parte desta é exportada fora do nosso território e parte perde-se no seu transporte. Superamos o ratio de potencia eólica instalada por quilómetro quadrado que recomenda Europa ata o ano 2030.

É permitido (e necessário) distribuir os conteúdos
Foi polo vento e Veu polo ar 2022+2023